domingo, 30 de março de 2008

Progressão de mentiras.

Eu minto,
minto mais do que deveria mentir,
mas me envergonho-me muito de mim.
Mas minto bem,
e nisso não há dúvidas.
Nem o espelho sabe quem eu sou
e é aí onde "mora o perigo",
não sei sair da minha mentira.
Ela me proteje de tanto,
mas as vezes eu preciso de carne,
carne protetora,
proteção primitiva,
primitivo calor,
calor interno,
mas a mentira é grande
e o interior não PODE se revelar.
Isso é privilégio dos sábios,
sabidos hômulos,
homens que não são homens,
pesquisadores de nossa inefundável existência.
Penso que já conheci um deles,
mas não sei nada da vida,
pode ter sido só uma paixão cega.
Te amo e não posso revelar minhas mentiras.
Amor e paixão.
Cegos num tiroteio,
comtemplações infinitas,
idealizações infames.
Pare!
Não dá.

2 comentários:

Júlia disse...

QUE LINDO SEU COMENT

AGORA PARA TUDO:

VC TEM O ENDEREÇO DO MEU BLOG SECRETO?

oO

Lisavietra disse...

Oi Lúcia!
Vi seu comentário no blog de Cookie. (então todo mundo escreve blog - ôba! rs)
Li algumas coisas aqui. Adoro quem escreve fragmentado - eu não consigo...
Um beijo!