segunda-feira, 9 de junho de 2008

Liz cap.3

"Cessou".
Sem ter um porquê o som cessou.
Como senhores de engenho que esquecem dos esravos se não lhes dão trabalho. Desse jeito, abrupto e desconfiado o barulho parou, mas tudo ainda modificava-se, derretia e condesava em novos cenários, alguns pertubadores.
Como uma flor, como a flor de liz, ela se encontrava no centro de um universo de transformações. E se sentiu dona deles, dona da matéria, dona das ondas que atravessavam seu pensamento, dona, dona, dona...
Até que caiu em consciência: nada daquilo era seu, o que não impedia o seu poder modificador diante desse universo.
Sentiu-se bem, mas só.
Pela primeira vez sentiu-se realmente só.


Aonde estarão?

3 comentários:

lalai disse...

opa, aqui! ;D

"quando quiser é só chamar, viu?"
(haha. eu tô danada nas aspas!)

lalai disse...

hauauhauhauhauhauhauhauhau!!!
"desejos congruentes"!
vc nunca esquecerá isso, hein? ;D

(desculpa pelo falso comentário interessante, mas vc tb me iludiu)hahaha!

eu mesma disse...

seus textos estão cada vez melhores
eu to cada vez entendendo menos
HAUhauHAUahuAHUahuaHA