quinta-feira, 31 de julho de 2008

Acordo (ando)- te. [fragmento]

(...)
É tempo de tormenta
e sinto tanto não poder arrancar-me qualquer coisa
para jogar aos pés de tudo que quero perto.
São tantas coisas que permeiam meu existir,
tantos fragmentos insistentes rodeando meus pensamentos.

E não pense que me assusto.

Procuro eternamente luz nos olhos alheios
e em ti, brilham tanto.
E apesar de não querer olhar-me nos olhos,
não consegue esconder, não conseguirá.

Ofereceu-me seus braços,
e a eles sou toda necessidade.
E porquê não arrancar-me a mim como quero?
Não tem sentido não fazê-lo.
(...)

Um comentário:

Hugo disse...

Ma como tú é linda!!!!!!!!!!!!!!