sexta-feira, 4 de abril de 2008

1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9...

Num final de tarde.
A paisagem é uma lindo pôr-do-sol,
regado de indivíduos hipócritas.
Bem normal, não é mesmo?
Mas alguma coisa se difere da massa comum,
um brilho de frequência perfeita primordiamente.
Este penetra e inebria,
e mata sem perceber.
A consciência foge e se esconde muito bem.
Parece que agora eu tenho que brincar de esconde-esconde.
...10. Acabou a contagem.

Um comentário:

van* disse...

vc sai
e não acha ninguém..


hora de contar outra vez.